I TA Voleibol: Aveiro e Coimbra foram mais fortes



Desta vez em Aveiro, 11 equipas, em representação de 6 Instituições, participaram no I Torneio de Apuramento de Voleibol feminino e masculino. De 14 a 15 de Novembro, a anfitriã Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv), recebeu a Associação Académica de Coimbra (AAC), a Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD) e a Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUAlg). A Associação Académica da Universidade de Évora (AAUÉ) e a Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI) juntaram-se apenas à competição feminina.




Na competição masculina, com apenas 4 equipas num Grupo Único, jogaram todos-contra-todos. A equipa da casa não deixou margem para dúvidas ao vencer os 3 jogos, frente à AAC, AAUTAD e AAUAlg. Apenas Coimbra colocou mais obstáculos no terreno de Aveiro, terminando o jogo 2-1. Académica de Coimbra ficou em 2º lugar, Algarve em 3º e Vila Real em 4º, sem vitórias.

No feminino, também a equipa de Aveiro se destacou ao apurar-se em 1º lugar do Grupo A. AAUTAD também conseguiu um lugar nas meias-finais. Já a equipa de Évora, com duas derrotas, ficou sem hipóteses de continuar em competição.

Compunham o Grupo A as equipas da AAC, AAUBI e AAUAlg. Com 2 vitórias a Briosa conquistou o seu lugar nas meias-finais, junto da equipa da Beira Interior.




Sem grandes surpresas, Aveiro e Coimbra continuaram a ser as mais fortes das meias-finais e defrontaram-se na final num “duelo de titãs”. Apesar de ter sido um jogo bastante disputado, a Académica de Coimbra venceu por 2 sets limpos. No jogo para definir o 3º e 4º lugar, a equipa da Covilhã venceu a AAUTAD, também por 2-0.


Uma vida de Voleibol


Com 45 anos, Paulo Guerreiro está ligado à modalidade desde jovem. É treinador no Clube de Voleibol de Aveiro desde 1997 e dirige a equipa da AAUAv há 2 anos.




Neste torneio notou a falta da equipa da Universidade do Minho. “É uma equipa fortíssima e acrescenta muito valor aos torneios de apuramento”, refere. Contudo, não deixou de elogiar o trabalho de equipas mais “fracas” que mostraram evolução e trabalho.

A equipa feminina da AAUAv classificou-se em 2º lugar e é objectivo do treinador assim continuar para chegar às Fases Finais. Apesar disso, revela que o Desporto Universitário deve encontrar-se entre duas vertentes. “O objectivo é participar e por toda a gente a jogar, sem deixar de lidar com o desporto universitário como um assunto sério e competitivo, claro que quero ganhar!” Acrescenta ainda que, “o Desporto Universitário deve ser encarado como um trabalho, com boas organizações, mais participação e mais apoios das Instituições, nota-se a falta de algumas equipas e isso prejudica o espirito académico”.

A diferença entre jogadoras federadas e não federadas é gritante. “Metade do meu plantel é federado, nota-se mais compromisso e experiência, mas também mais cansaço e carga de trabalho, a outra metade são atletas que conseguimos juntar um mês antes dos torneios, o que me dá muito pouco tempo para ter algum aproveitamento e criar rotina de jogo”, comenta. Estas dificuldades visíveis são muitas vezes desmotivantes para o treinador que não mantem o nível de trabalho desejado.
e-max.it: your social media marketing partner
 

Apoios Institucionais

Governo Português
IPDJ

Patrocionador Principal

Jogos Santa Casa

Parceiros

COSMOS
CISION

Membro

FISU
EUSA
COP
CPP
CDP
CNJ
FADU

Avenida Professor Egas Moniz
Estádio Universitário de Lisboa, Pavilhão nº1
1600-190 - Lisboa

e: fadu@fadu.pt
t: (+351) 21 781 81 60
f: (+351) 21 781 81 61

Newsletters

Social

ptenfr

FADU - Todos os Direitos Reservados © 2015
Desenvolvido por Drop Agency

Este website utiliza cookies que permitem melhorar a sua navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. O que são Cookies?